Correio das Cidades

Independência e Verdade

TCU investiga o fim dos hospitais de campanha

TCU investiga o fim dos hospitais de campanha

Colapso do sistema de saúde da maioria dos Estados e municípios levou o Tribunal de Contas da União a determinar que a Secretaria-Geral de Controle Externo realize uma ação específica sobre a situação. O TCU quer averiguar causas e responsabilidades de governadores e prefeitos pela desmobilização dos hospitais de campanha para atender pacientes com covid e que seriam fundamentais para salvar vidas neste momento.

AÇÃO EXPANDIDA
A decisão deu prazo de 15 dias para apresentação dos resultados e foi tomada no processo que investiga não cessão de leitos militares ao SUS.

AGILIDADE
Em março, o governo do DF anunciou abertura de três novos hospitais de campanha, que terão 300 leitos de UTI para pacientes com covid-19.

ESPERAVA-SE MAIS
Também em março, o governo paulista anunciou 11 novos hospitais de campanha, mas serão menos leitos 140 de UTI e 140 de enfermaria.

CORRENDO ATRÁS
Depois de bater o recorde com 1,2 milhão de doses na terça, o Brasil aplicou mais 700 mil, segundo dados atualizados às 18h48 pelo vacinabrasil.org. Foram cerca de dois milhões de doses em dois dias.

NO GRITO NÃO VALE
O deputado Henrique Fontana (PT-RS) agora quer pautar a agenda da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, insistindo para que a antiga cúpula militar deponha sobre a própria substituição. Eles não podem ser convocados e avisaram que não aceitariam qualquer convite.

PARA SOMAR
Segundo o projeto aprovado pela Câmara, as vacinas compradas por empresas poderão ser aplicadas em todos os trabalhadores, incluindo estagiários, autônomos e contratados temporários ou terceirizados.

AGORA VAI
As empresas podem comprar vacinas sem esperar pela lentidão da Anvisa. Se a vacina já tem autorização de agência reguladora e seus estudos publicados em revista científica, poderá ser importada.

DF FEZ MELHOR
O governo federal faturou R$3,3 bilhões com a venda de 22 aeroportos. É um ótimo começo, mas o governo do Distrito Federal fez melhor, garantindo R$2,5 bilhões somente com a venda da CEB Distribuidora.

LÁ E CÁ
A falta de vacinas afeta a vasta maioria dos países, como a Turquia, surpreendida pelo não cumprimento da entrega de doses pela China. Lá, a culpa é da escassez, aqui isso é classificado como “desorganização”.

MUDOU PARA MELHOR
Pouco mais de um mês depois da privatização, consumidores de Brasília já sentem a mudança na CEB. Equipes têm sido vistas nas ruas fazendo manutenção preventiva e instalando novos dispositivos na rede elétrica.

NECESSÁRIO
O presidente Bolsonaro e o ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia) entregaram a obra de ampliação da pista do Aeroporto de Foz do Iguaçu, por onde passam mais de 810 mil passageiros por ano.

PENSANDO BEM…
…o sucesso do leilão de 22 aeroportos revelou o lado Thorcísio Freitas do ministro da Infraestrutura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *